domingo, 18 de outubro de 2015

Resenha "Vidas Secas"



Sinopse: Em Vidas Secas, o autor se mostra mais humano, sentimental e compreensivo, acompanhando o pobre vaqueiro Fabiano e sua família com simpatia e uma compaixão indisfarçáveis. Além de ser o mais humano e comovente dos livros de ficção de Graciliano Ramos, Vidas Secas é o que contém maior sentimento da terra nordestina, daquela parte que é áspera, dura e cruel, sem deixar de ser amada pelos que a ela estão ligados teluricamente. O que impulsiona os seres desta novela, o que lhes marca a fisionomia e os caracteres, é o fenômeno da seca.











    O livro Vidas Secas trata de uma família de retirantes sertanejos que são obrigados de tempos em tempos a se deslocar para áreas menos castigadas pela seca. É uma família composta por um pai, chamado Fabiano, uma mãe, sinhá Vitória, dois filhos, que são chamados de O Menino Mais Velho e     O Menino Mais Novo, e uma cadela chamada Baleia. Eles ficam vagando à procura de terra fértil e possível de ocupação.  A leitura, inicialmente, é bem monótona. O vocabulário utiliza algumas palavras que, possivelmente, são de uso dos habitantes da região, tornando-se, por vezes, desconhecidas para o leitor. Os eventos do livro não possuem ligação explícita, um capítulo não se liga ao outro, o que é confuso a princípio. A narrativa não é contínua, o livro é composto de pequenos capítulos que narram acontecimentos ou pequenos períodos de tempo, mas esses não seguem uma linha de tempo contínua.
   Outra característica da narrativa é a constante mudança de perspectiva, entre parágrafos ou capítulos, em que o foco muda de personagem. A história possui um narrador onisciente, que a cada capítulo narra a visão de um personagem diferente. Ele pretende mostrar ao público a realidade, explora mais o monólogo interior dos personagens, expondo completamente seus pensamentos e desejos, mas não busca simpatizar com os personagens. É uma leitura direta e com poucos detalhes. Os personagens não possuem um amplo vocabulário, consequentemente a presença de diálogos na narrativa é bem rara, o máximo que encontramos são algumas falas esparsas.
   O livro mostra características marcantes dos personagens, Fabiano orgulhava-se de ser um vaqueiro, apesar de não ter onde morar, o seu patrão o explorava, ele tinha vontade de reagir, mas sempre se lembrava da família e acabava duvidando de que era um homem, se considerava um animal por não saber se expressar, o livro classifica apenas os dois filhos de Fabiano como o filho mais velho e o filho mais novo, caracterizando a falta de identidade e individualidade. O filho mais novo via em seu pai um herói, queria ser como Fabiano quando crescesse, via nele um vaqueiro forte, matuto, esperto... Baleia, a cachorra, é retratada no livro como parte da família, é o personagem mais forte deste romance, pois ela é bastante humanizada pelo escritor, despede-se da vida de maneira suave e pensativa, deixando a dúvida: era bicho ou gente?
   O livro de Graciliano Ramos foi publicado em 1938, a minha edição (127ª) de 2015, possui 174 páginas. Vidas Secas representa ainda uma evolução na obra de Graciliano Ramos quanto ao estilo e à qualidade estritamente literária.









10 comentários:

  1. oi ;) faz mais de 10 anos que li este livro, ñ me lembro dos detalhes mas sei que gostei muito. vou procurar e ler novamente.

    ResponderExcluir
  2. Linda e emocionante historia do povo sofredor que luta pela família acima de tudo um retrato verdadeiro dos retirantes muito vivo ainda hoje uma bela obra deste autor .

    ResponderExcluir
  3. Oi Priscila.
    Ru já tinha ouvido fala deste livro, acharia que um dia o pegaria na biblioteca, mas agora estou confusa, parece que falta conecçao e isso me incomoda, ainda mais porque os filhos são chamados de uma forma estranha, tipo o desenho "Os 7 Monstrinhos".

    Bjsss

    ResponderExcluir
  4. Nossa, tem tantos anos que li esse livro. Estava no colégio e a prova era sobre ele. Preciso reler. Graciliano Ramos é um dos autores de maior renome que já li e que retrata bem o povo brasileiro, principalmente esse livro. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  5. Vidas secas é sem dúvida um dos livros clássicos . É uma história cativante que faz você querer continuar lendo para saber o que vai acontecer com aquela família de retirantes tão sofrida. Com certeza vale a pena ler.

    ResponderExcluir
  6. Nunca tinha ouvido falar nesse livro, e pelo que eu vejo, deve ser bem antigo, e retrata como era antigamente, achei a premissa do livro bem bacana, mas o livro não me cativou a leitura, mas sei que tem muita gente que gosta e curti esse tipo de livro.

    ResponderExcluir
  7. Esse livro é um super clássico que eu gosto muito, e ler a resenha me relembrou muita coisa :)

    ResponderExcluir
  8. Eu li esse livro, mas faz tanto tempo que nem lembrava que tinha lido até ler sua resenha. Haha Li no ensino médio, por conta dos vestibulares. É uma história bem triste, porém realista.

    ResponderExcluir
  9. Ola...eu tenho esse livro na minha estante porém nunca li ele, ganhei da minha mãe, ela diz que e super interessante a historia e que e linda..nunca me empolguei mas quem sabe possa tira da minha estante para ler..!
    super linda sua resenha sobre ele!!

    ResponderExcluir
  10. Livro Representativo da Literatura Brasileira Moderna.Eu, particularmente, a amo.. A leitura é fluida e de fácil compreensão. A narrativa é instigante e retrata bem o cenário da seca vivido pelos personagens. Com esse livro passamos a entender mais o sofrimento de pessoas que, infelizmente, ainda vivem nessa situação.

    Recomendo muito!!

    ResponderExcluir